Vale a pena fazer um curso de vendas? 

Você já pensou em fazer um curso de vendas para aprimorar suas habilidades de negociação?  

Para quem trabalha na área comercial, esse tipo de capacitação é indispensável, mas saiba que ao longo da vida, as pessoas precisam aprender “a vender seu peixe” de várias formas. 

Ou seja, não precisa trabalhar necessariamente com a venda de um produto para aproveitar os conhecimentos e técnicas de vendas em outros momentos da carreira ou até mesmo na hora de vender uma ideia em uma reunião. 

Vivemos em uma época na qual, a experiência do consumidor conta muito para a construção da credibilidade de uma marca e mais do que saber como vender, é preciso agregar valor ao que você vende. 

As experiências ocorrem no cotidiano. No entanto, investir em cursos profissionais nunca é demais, pois o mercado evolui, a exigência das habilidades é cada vez maior e os clientes que decidem pela compra também avaliam diversas possibilidades. 

Somente esses motivos já contam a favor da busca por novas competências, não acha?  

Se você quer entender mais sobre o que é abordado em cursos de vendas e quais são as vantagens, em diferentes contextos, esse artigo é para você. 

Descubra quais são os benefícios de aprender sobre as técnicas de venda! 

Melhorias na habilidade de negociação Entender o comportamento dos consumidores e o contexto da decisão de compra é a missão de toda empresa que deseja alcançar melhores resultados.  

Você sabia que a qualidade do atendimento ao cliente é responsável pela retenção de boa parte dos clientes?  

Não é por acaso que estudos como o Customer Trends destacam o reflexo que um bom atendimento deixa na relação entre cliente e vendedor.   

As técnicas de negociação e comunicação assertiva são válidas tanto nos contextos físicos, quanto no atendimento virtual. 

Imagine que você é um vendedor especializado em acessórios para automóveis e tem a missão de apresentar as vantagens do escapamento akrapovic.  

Saiba que, além de conhecer o produto, testar, destacar as vantagens da peça e a credibilidade do fabricante, é preciso desenvolver um jogo de cintura para fechar a negociação. 

Um curso voltado à área de vendas é vantajoso neste sentido, pois contempla as técnicas de persuasão, atendimento, negociação e pode até estimular a simulação de situações reais com o cliente. 

Marketing pessoal também é venda Trabalhar com o marketing pessoal e destacar suas qualidades profissionais vai muito além da criação de uma página no Linkedin ou em outras redes sociais.  

Neste contexto, um curso de vendas pode te ajudar a fortalecer sua imagem no mercado e a consequência é um retorno de sucesso no aspecto profissional. 

Pense em uma pessoa que é autônoma e oferece o serviço de encomendas como crepe para festa, salgadinhos, brigadeiros, entre outros produtos.  

Para vender mais, essa pessoa terá que construir uma boa imagem da empresa e de quem está à frente do processo. 

As aulas de vendas, quando alinhadas às estratégias de marketing podem fortalecer bastante um negócio.  

Para trabalhar o marketing pessoal e construir uma imagem de credibilidade em relação ao perfil profissional, existem algumas dicas que podem funcionar.  

Separamos algumas abaixo: 

 

  • Conheça os hábitos e rotina do seu público;
  • Destaque os seus certificados e qualificações profissionais;
  • Procure depoimentos de quem já conhece seus serviços;
  • Use as redes sociais;
  • Divulgue suas conquistas e vitórias;
  • Forneça informações relevantes para o público;
  • Demonstre que você é autoridade em seu nicho de atuação.

Na prática, existem algumas variáveis que determinam o sucesso das dicas. O primeiro passo é identificar com quem você está falando. 

Do que seu público gosta? Qual é a faixa etária, profissão e os hábitos do seu público? As redes sociais são um canal de comunicação efetivo para seus clientes?    Existe um conceito no marketing digital chamado persona e que pode ser aproveitado para fortalecer as melhores abordagens no setor de vendas. 

Essencialmente, a persona é a construção de um personagem fictício, baseado em entrevistas, coleta de dados, pesquisas de mercado e histórico de atendimento real.  

É o cliente ideal da sua empresa, conta com informações detalhadas sobre idade, hábitos de compra, rotina, profissão, dores e oportunidades, diferente do público-alvo. 

Empresa de telefonia e telecomunicações podem construir essa ferramenta a partir de um coletor de dados motorola, nos sistemas utilizados pela equipe de telemarketing, por exemplo. 

Mais do que conhecer os dados, é importante saber como utilizá-los para aprimorar suas técnicas de vendas, por isso, confira as dicas seguintes! 

Comunicação clara e assertiva A comunicação é uma chave e nunca deve ser um problema ou motivo de trava para suas vendas.  

Isso vale para o setor comercial, assim como para as reuniões de trabalho ou defesa de ideias em uma apresentação. 

Quando você tem a missão de apresentar um produto ou serviço para um público que já conhece e domina termos técnicos, ter uma comunicação clara, assertiva e estar pronto para responder dúvidas é algo fundamental para a conversão em vendas. 

Um exemplo: um vendedor precisa mostrar as modernizações mais recentes das seladoras odontológicas para clínicas e consultórios odontológicos particulares.  

É provável que os dentistas já saibam a importância que esse equipamento tem para proteger as embalagens que armazenam os instrumentos de trabalho e evitam a contaminação.  

No entanto,  o dentista quer ouvir os diferenciais, as vantagens e o porquê optar por uma empresa em relação à outra. 

Ao frequentar um curso de vendas, você aprende a desenvolver técnicas para apresentar seu pitch de ideias e quanto mais clara for a comunicação, melhor a mensagem será transmitida.  

O mesmo raciocínio vale para outras áreas como a explicação técnica de situações que ocorrem na indústria como o corte com jato de água e outras situações de maior complexidade. 

Diversidade de abordagens Existem vários perfis de vendedores, assim como os cliente possuem suas diferenças e preferências.  

Se alguma vez na vida, você sentiu que o vendedor era insistente e até inconveniente e deixou de comprar em uma loja por esse motivo, é provável que essa não é a melhor abordagem para o seu estilo. 

Estudar o comportamento do cliente é saber quando abordar e como falar com ele.  

Hoje, o freguês tem papel central na decisão de compra e acredite, basta uma postura inadequada para ele considerar outras alternativas. 

O conceito de jornada do cliente e seus respectivos estágios de compra pode ser bastante utilizado neste contexto.  

A venda de um sistema sat ou sistema autenticador e transmissor de cupons fiscais eletrônicos, por exemplo, é uma solução para empreendedores do varejo e comércio. 

Além de auxiliar no cumprimento de normas obrigatórias do governo em relação à documentação de compras e transmissão de informações. 

Especialmente neste caso, o consumidor sabe que tem um problema e é natural que à medida que ele tenha mais informações, busque a solução de forma natural.  

Uma boa técnica para quem faz essa adequação de sistemas é demonstrar credibilidade e que está pronto para ajudar. 

Em outro caso, imagine que um motorista quer renovar o visual do seu automóvel e personalizá-lo com a cara da sua empresa.  

A plotagem adesivo é a técnica ideal, no entanto,  para o vendedor se destacar, o simples fato de agregar valor à comunicação e às técnicas de venda é um fator decisivo. 

Toda personalização de automóvel precisa ser coerente com as especificações de órgãos como Detran para a caracterização de veículos.  

Portanto, não basta ter uma oficina, é preciso que os vendedores tenham conhecimento de causa para saber vender o serviço da forma que o cliente procura. 

Mais chances de conversão Agora que você sabe um pouco mais sobre as técnicas e demandas do setor de vendas, fazer um curso não parece má ideia, certo?  

Além de se preparar melhor para o mercado e para situações distintas, saber como apresentar sua ideia no momento certo aumenta as chances de conversão e fidelização dos clientes que você já tem. 

Não importa se o produto é um espelho com toucador ou peças de roupa. Antes de convencer alguém a comprar, você precisa convencer a si mesmo do que é importante para vender. 

A venda é fruto de encantamento do cliente, informações bem detalhadas, oportunidades que são aproveitadas e negociação. Se engana quem pensa que para vender um produto basta precificá-lo. 

Por isso, qualificação profissional para entender o mercado e suas particularidades, lidar com projeções reais e analisar as experiências de forma crítica é essencial.  

Você pode vender produtos para uma empresa ou fazer a venda de si mesmo para trabalhar nela e saber como falar o que as pessoas querem ouvir é algo que se aprende com técnica. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos. 

Open post

Entenda como a internet das coisas pode contribuir para o Marketing Digital

De todas as mudanças que a revolução digital dos microcomputadores e dos smartphones trouxe, certamente a mais ousada delas é a da Internet das coisas.

Também chamada IoT (Internet of Things), é verdade que muito do que se diz a respeito da Internet das Coisas ainda está por vir. Contudo, muito do que se imaginava como revolução futura já está aí, pelo menos de modo inicial.

É o caso, por exemplo, de algumas tecnologias automotivas, sobretudo ligadas ao GPS e piloto automático. Bem como da automação industrial e até da residencial, que já permite eletrodomésticos conectados a um comando central da casa.

O interessante é ver como essas transformações irão alterar várias dimensões da nossa vida e da nossa rotina.

De fato, trata-se de uma questão paradigmática, ou seja, uma questão que envolve vários fatores e não apenas a tecnologia ou os hábitos.

Um dos aspectos mais interessantes dessa mudança, efetivamente cultural, é a questão das relações que temos com as marcas e empresas. 

Com o advento da internet e da famosa Geração Z dos “nativos digitais”, esse campo já havia passado por transformações radicais.

Agora, porém, com a IoT isso deve se intensificar de maneira ainda mais acelerada. Então, se você quer ficar por dentro desses assuntos e compreender como o marketing digital se insere nisso tudo, siga até o final na leitura deste post!

Marketing Digital e IoT: uma relação ampla

Para entender a relação entre Internet das Coisas e marketing digital é preciso compreender a essência de ambos os conceitos.

O primeiro deles, como vimos, diz respeito à conexão e interconexão de objetos ou “coisas” por meio da internet. 

Naturalmente, para tanto os sinais de internet não apenas serão melhores do que os atuais, como estarão disponíveis em todos os cantos habitáveis do mundo.

Hoje, uma indústria ou mesmo uma casa já pode contar com vários sensores, que vão desde um sensor de nível de líquido em um tanque ou caixa d’água, até um refrigerador com painel digital e funções interconectadas. 

Entretanto, a IoT projeta o futuro de uma cidade inteligente. Tais cidades deverão contar com milhares ou mesmo milhões de sensores. 

Esses objetos, por sua vez, ajudarão a fazer a gestão do espaço comum: seja para uma simples lixeira inteligente e sustentável, seja em função de câmeras de segurança e policiamento mais eficiente.

O segundo conceito é o de marketing digital. Até pouco tempo atrás, uma empresa que trabalhasse com portão automático basculante e soluções similares investia apenas em outbound marketing e soluções off-lines (ou seja, panfletos, rádio, outdoors e afins).

Atualmente, mesmo uma oficina de bairro precisa de soluções on-line de marketing: website, páginas responsivas para serem acessadas por dispositivo mobile, opção de chatbot para respostas automáticas, redes sociais, blogs e vlogs em função de conteúdos, etc.

Dito assim, já é possível compreender como as duas tendências se relacionam de maneira bastante intensa. Contudo, há mais um fator aí: qual é a essência do marketing, seja o digital ou o tradicional?

O marketing não existiria sem a capacidade de uma empresa em compreender o comportamento das pessoas que compõem seu público-alvo. 

Se um escritório que desenvolve projeto de Terraplenagem não tem informações suficientes do que seu cliente quer, ele não prospera.

Aí é que entra o papel da Internet das Coisas: como ela estará ampliando cada vez mais a quantidade de “coisas” e de pessoas conectadas, ela criará um banco de dados a respeito dos hábitos, comportamentos e anseios da maioria das pessoas.

É nesse ambiente que consiste a relação essencial entre os dois conceitos. Além do mais, caberá ao marketing compreender a fundo todos os serviços e produtos que irão surgir na esteira da IoT, bem como a maneira de tornar a experiência com eles cada vez melhor.

O que muda no marketing do setor automotivo?

Talvez, os exemplos mais ilustrativos da revolução que está por vir sejam os do setor automobilístico e os da automação residencial.

Ao menos, são os mais próximos da maioria de nós, embora algumas mudanças industriais/corporativas também sejam surpreendentes.

A maioria de nós já ouviu dizer, por exemplo, que os robôs de uma indústria realizam feitos incríveis. Ou mesmo que já existem braços mecânicos fazendo cirurgias em seres humanos (embora, por enquanto, com o acompanhamento de um médico).

As mesmas tecnologias que permitem esse tipo de fenômeno já estão no nosso dia a dia, de modo que não é preciso recorrer a exemplos específicos demais. Sobre os veículos, há carros que já possuem dezenas de sensores, porém a verdadeira revolução está por vir.

Trata-se dos projetos atuais que almejam a existência de carros que dispensem o motorista humano. Além de o piloto automático fazer o percurso, graças ao GPS, ele estará conectado aos semáforos, aos demais dispositivos da estrada e aos outros veículos.

Também assim, até pouco tempo atrás, o conserto de macaco hidráulico indicava uma evolução radical, já que esses macacos eram muito mais fáceis de operar para a troca comum de pneus.

Hoje, no entanto, já se fala em pneus que, após furar ou murchar, enchem-se sozinhos. O recurso existe graças a uma câmara de ar emergencial e à interconexão digital do veículo.

Nos dois casos, as possibilidades que o marketing digital encontra são incríveis. No cenário do piloto automático entra o elemento da ociosidade, que certamente fará o motorista se conectar à internet e navegar em busca dos conteúdos de seu interesse.

Ao gerar esse histórico de tráfegos ele emite o seu perfil. Com isso é possível tornar a experiência de locomoção dele mais interessante, por meio de produtos e serviços que sejam pertinentes a esse novo estilo de vida. Isso cabe ao marketing digital.

As soluções podem ir desde produtos de consumo universal, como roupas, alimentação e tecnologia, até outras mais nichadas, a depender da profissão da pessoa.

Do mesmo modo, o marketing digital de uma empresa de transporte de máquinas pesadas pode ter de se reformular totalmente em função dessa novidade.

Sobretudo, porque as movimentações de carga também são feitas por meio de veículos e caberia entender como tal serviço reagirá aos pilotos automáticos.

Como a domótica mudará a rotina das pessoas

Como vimos, a mudança nos hábitos de consumo e na relação das pessoas com as “coisas” traz uma mudança/desafio para o marketing digital de qualquer empresa.

Também vimos que a IoT não apenas trará desafios para o marketing, como algumas possibilidades incríveis, já que a relação entre ambos é produtiva e de troca.

Nessa relação será possível criar e otimizar processos de modo dinâmico e incrível. De fato, para conseguir mais leads, um empreendimento contará com dados emitidos pelos novos aparelhos de tecnologia, como um smartphone, um relógio inteligente, ou mesmo um tablet.

Mas, não para por aí. Afinal, acima falamos sobre o setor de automação residencial esse segmento e contexto é muito amplo e pode ser muito explorado.

Também chamada domótica (mistura de “domus”, que é casa em latim, com “robótica”), esse segmento já tem apresentado novidades inimagináveis.

Recentemente, uma mudança radical que ocorreu no Brasil foi a do Sistema de medição individualizada de água e de gás em condomínios residenciais. Hoje, ela tem alcance federal e é obrigatória, sob força de lei.

O interessante é que a implementação técnica desse recurso já exigiu algumas interfaces tecnológicas e até conexão com servidores a distância. 

No entanto, a revolução da domótica vai muito além e hoje inclui aspectos como:

  • Portas e portões;
  • Som e temperatura;
  • Janelas e cortinas;
  • Limpeza e organização.

Em termos de segurança, não é preciso dizer o quanto uma porta que só abre por comando de voz, digital ou mesmo pela íris dos olhos do dono, é um avanço, certo? O interessante é como o marketing digital terá de se aprofundar nesses novos portfólios.

A climatização e o som ambiente das casas inteligentes se acionam sozinhos, assim que a pessoa entra no ambiente. Também neste caso, isso permite à pessoa perder menos tempo, o qual certamente ela investirá navegando na internet.

Além disso, as janelas e cortinas podem ser programadas para abrir em determinada hora do dia. Já os rodapés contam com sistemas de aspirador de pó que limpam a casa sozinhos.

Conclusão: uma revolução comercial e cultural

Essas tecnologias incríveis da IoT não surgiram do nada, como atestado acima. Desse modo, é possível rastrear a evolução de cada setor, como na própria área das edificações residenciais, que até há algumas décadas só conheciam levantamentos topográficos feitos à mão.

Ao passo em que, mais recentemente, com a disseminação da informática, surgiram técnicas tridimensionais e de levantamento planialtimétrico

Tais recursos permitem aos engenheiros da área muito mais segurança e agilidade na hora de construir edificações.

É justamente nesse aumento generalizado de produção que está a essência não apenas da IoT, como do marketing digital, uma vez que sem ele não seria possível comercializar a infinidade de novas soluções que surgem a cada dia que passa.

Graças a tudo isso, por exemplo, hoje um escritório qualquer pode comprar e revender equipamentos para tratamento de efluentes industriais.

Além disso, esses maquinários têm peças que são fabricadas em dezenas de países diferentes, montados no mercado estrangeiro e exportados para cá, onde são comercializados.

Por esse motivo, todos os empreendedores e empresas, de pequeno, médio ou grande porte, precisam acompanhar essa revolução comercial e cultural pela qual estamos passando.

Também é verdade que só assim será possível garantir processos que evoluam junto com os hábitos das pessoas e garantir um crescimento sustentável da carteira de clientes.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

Open post
Melhores aplicativos para você estudar

Melhores aplicativos para você estudar

Enquanto algumas pessoas adoram estudar e conhecer cada vez mais sobre o mundo, para outras esta tarefa pode ser bastante complicada.

Mas essa situação pode ser resolvida. Isso porque atualmente existem diversos aplicativos que nos permitem fugir da maneira tradicional de estudo.

Eles inovam, trazendo diferentes maneiras para o aluno assimilar a matéria, o que acaba chamando mais a atenção deles.

E para você que faz parte desse seleto grupo de pessoas que não gostam de estudar, separamos os principais deles:

Trello

O trello é mais um meio de organização de seus estudos do que uma fonte de conteúdo propriamente dita.

Nele, você pode elaborar quadros com prazos específicos. Por exemplo, caso você precise estudar matemática até o final do mês, pode elaborar um quadro personalizado.

Assim, é possível destacar os itens que serão estudados e estabelecer metas. Isso acaba trazendo uma motivação a mais para os seus momentos de aprendizado.

O interessante é que o desenvolvimento do aplicativo se deu tanto para desktops quanto para plataformas mobile.

MecFlix

Com o Mecflix as coisas são diferentes. Nele, você possui uma diversidade imensa de conteúdos para estudar.

O diferencial do aplicativo é que ele dispõe todos os seus tópicos em formato de vídeo. Dessa forma, prende a atenção do usuário.

Também serve como alternativa para aqueles que desejam companhia nos estudos mas não estão em condições de arcar com os custos de um cursinho, por exemplo.

Duolingo

O Duolingo é voltado para aqueles que gostariam de aprender outras línguas, mais especificamente o inglês.

Ele apresenta uma série de tarefas simples, que trabalham com a fala, escrita e interpretação de texto.

Mas os joguinhos são tão interativos que parece que você está brincando e não estudando. O app é disponível para sistemas IoS e Android.

Quizz Up

Como o próprio nome já diz, este aplicativo é uma espécie de quiz, que assim como o Duolingo passa a impressão mais de entretenimento do que de um estudo propriamente dito.

Nele, você seleciona a matéria que deseja estudar, faz os testes propostos e vai ganhando pontos quando acerta as questões.

Um atrativo é que você pode até mesmo selecionar a opção de competir com um amigo ou com pessoas ao redor de todo o globo.

Flipboard

O FlipBoard surge como uma maneira interativa de acompanhar, em tempo real, as notícias e acontecimentos mais relevantes da atualidade.

Trata-se de uma estratégia importante para aqueles que desejam se dar bem no Enem, uma vez que nesta prova saber sobre atualidades é importantíssimo.

Ele funciona como uma espécie de jornal ou revista. Assim, une as principais notícias do dia, avaliando os mais variados sites.

Você ainda tem a opção de selecionar determinados temas, elaborando uma espécie de feed com assuntos importantes.

EstudaVest

O EstudaVest é um app bastante específico para quem está estudando para determinado vestibular.

Basta você selecionar a faculdade desejada que ele dispõe um conjunto de questões de prova para você ir treinando.

O bacana é que ele é bem completo, contando com simulados inteiros sobre determinadas áreas ou matérias.

Issuu

Se você é daqueles que gostam de ler livros ou revistas para incrementar os estudos, o Issuu é o aplicativo indicado.

Isso porque nele você encontra várias revistas, livros, e-books, sobre diversos assuntos relevantes para seus estudos.

Dessa forma, você conseguirá estudar pelo celular e até pelo computador de uma maneira muito mais simples e interessante.

Um atrativo é que dá até salvar os livros escolhidos no seu celular, assim, você pode estudar offline, não gastando internet quando estiver longe de casa.

Basta você procurar pela temática ou matéria que já aparecem vários livros e e-books indicados para aquele tema.

Importância do curso de web design para um grande futuro

Web design é principalmente sobre como fazer websites.Best web design é um conjunto de habilidades para preparar um visivelmente bom, interativo conteúdo apresentado juntamente com os programas bem desenhados para as pessoas de todo o mundo que pode ser visto e usado com a ajuda do mundo ampla web.

O principal objetivo do web design é criar esses sites pelos quais as pessoas possam compartilhar fatos sobre si mesmas e conscientizar as pessoas sobre sua presença em todo o mundo. E um bom site pode levar seu negócio a um ótimo nível.

Como a necessidade de sites está aumentando, a demanda por profissionais altamente qualificados também está azedando alto. Para atender a isso, existem mais de 5ooo institutos que oferecem cursos especializados em Web Design em todo o mundo.

Sendo o centro de TI, se falamos de não. de bons centros de aprendizagem, principalmente duas cidades

realizando muito bem ou seja, Delhi e Bangalore, na Índia, mas há muitos países também que trabalham para este tipo de treinamento muito bem. Entre todos, curso de web design Delhi é o

mais proeminente disponível em mais de 50 institutos em todo o mundo. Este curso é dividido em 5-7 módulos, dependendo dos Institutos e da nação em particular.

Curso de web design Delhi está disponível principalmente como certificados e cursos de diploma.

Em uma perspectiva melhor, o Curso de Web Design não se trata apenas de projetar os sites, mas inclui também a parte de desenvolvimento, onde os profissionais projetam, desenvolvem e fazem o upload deles nos servidores. Módulos de Web Designers especializados incluem: HTML, XHTML, CSS, JavaScript, Perl, PHP, ASP, JSP, Cold Fusion, etc, há muito mais para oferecer além disso.

Como Especialista Web Designers, é altamente procurado, portanto, a estrutura de taxas pode variar de Rs. 15.000 a 1.5 lacs e desenvolvimento podem custar entre Rs.50000 a Rs.2, 50.000 na Índia. Em outros países, esse custo pode chegar a um nível muito mais alto.

Depois de concluir o curso, há um estágio de pelo menos 6 meses. Os institutos colocam seus candidatos de acordo com a empresa. Depois disso, a maioria dos estudantes consegue emprego no período de estágio. Aqueles que não seriam capazes de fazê-lo, caso contrário, conseguirão bons empregos em outras empresas também.

Este é o tempo de espiada, quando os estudantes estão optando por web design apenas por causa de estruturas salariais

e boa disponibilidade de trabalho. Esta é a melhor escolha entre os estudantes e o número vai surgir no futuro próximo, com certeza.

O Curso de Web Design está disponível não apenas em institutos privados, mas governos de diferentes países também estão dando grandes passos para oferecer educação mais barata.

Artigo escrito por UpSites, agencia de criação de sites sp

Scroll to top